Meditação Sahaj Samadhi

Atualizado: Set 18

Priscylla Lins e Olga Gonzalez


Eu conheci a Meditação Sahaj Samadhi com o curso que fiz com Olga Gonzalez na Arte de Viver. Já falamos inicialmente do trabalho desenvolvido por Sri Sri Ravi Shankar com a Fundação Arte de Viver em nosso texto 2. Com uma vasta obra na promoção de saúde, cultura de paz e resolução de conflitos comentamos neste encontro os trabalhos voltados para a comunidade com a Respiração, Água e Som - R.A.S, o trabalho nas prisões com o Prison Smart e com a meditação Sahaj Samadhi passamos a dialogar a fim de conhecer mais a prática e seus benefícios.


Sri Sri Ravi Shankar traz em um trecho de seu livro Deus Ama Diversão o seguinte pensamento:

A sua mente nunca está no momento presente. Ela está oscilando entre o passado e o futuro. Vocẽ está ansioso sobre o futuro ou você está com raiva sobre o passado. Toda a sua raiva é sobre o passado, que já se foi, acabou. E toda a sua ansiedade é sobre o futuro, que ainda não está aqui. O momento presente é muito profundo, ele não é superficial. Trazer a mente para o presente é chamado de meditação, samadhi. Aqui você está em Deus (SHANKAR, 2014, p.65).

É um caminho de aprendizagem viver em presença, uma jornada de vida que vamos nos fortalecendo a partir do nosso autoconhecimento, cuidado de si, querer mudar e um firme propósito para sustentar estas mudanças. Assim, conhecer a história de vida de quem faz esta trilha de transformações nos inspira e clareia o horizonte de possibilidades. Olga partilhou um relato de parte sua jornada, nesta caminhada de autodesenvolvimento, na experiência com a Arte de viver. Ela nos conta que:

“Trabalhava muito como arquiteta e designer de interiores. Sentia que estava desvitalizada e precisava tomar alguma providência para melhorar minha saúde e bem estar. Comecei mudando minha alimentação com a ajuda de um médico naturopata e fui um dia almoçar no restaurante Ramma e lá vi um discreto cartaz sobre um Curso de respiração. Minha intuição me conduziu ao curso Parte 1 da Arte de Viver (hoje Happiness Program) que foi conduzido por Pat Freitas e me encantei com as técnicas e principalmente em como me senti após o curso. Isso foi em 2005. Meses depois, sem planejar muito viajei para o Ashram da Arte de Viver em Bangalore Índia com o grupo de brasileiros para os 25 anos da organização. Nessa viagem encontrei pela primeira vez Sri Sri Ravi Shankar, nosso Guruji e pude entender a magnitude e o propósito do que Ele estava construindo. De volta ao Brasil me engajei como voluntária e continuei fazendo cursos avançados e me aprofundando cada vez mais em práticas e Conhecimentos tão preciosos que Guruji vem trazendo para o bem de toda a humanidade. Em 2008 me tornei instrutora do Curso Happiness. Tinha que me tornar também um canal para espalhar ferramentas tão valiosas! Em 2014 me tornei instrutora do Curso de Meditação Sahaj Samadhi e este ano fui abençoada por Guruji para ser instrutora de outro curso avançado. O Arte do Silêncio. Estar no Caminho Espiritual traz uma visão da vida única e especial. É olhar para pessoas e eventos com outros olhos e perceber que o sentido da vida é estar em serviço (GONZÁLEZ, 2018)”

Olga nos traz em nosso encontro a partilha de sua sabedoria com a prática de meditação. Uma prática em que ela vive em sua vida e atua partilhando desta sabedoria no mundo. E trazemos agora aqui no texto as pérolas do que ela compartilhou em nosso encontro.

Há uma palavra em sânscrito que define as práticas espirituais, essa palavra é Sadhana. O Sadhana é a riqueza que a gente tem e ninguém pode tirar, ela vai sendo levada por vidas e vidas. Quando você tem um mantra ele vai te acompanhar por vidas e vidas. Consciência e espírito, been, ser são sinônimos. Quando meditamos entramos em contato com esta parte sublime, superior que todo o ser humano tem, como este ser em que todos tem um ser.


Acreditamos neste mundo exterior na conexão com os cinco sentido que é tão forte e o ser no mundo interior fica em segundo plano, por ser tão sutil em que a gente não experimenta com os cinco sentidos mas é tão poderosa que a gente experimenta neste movimento de recolher. Então é bom meditar todos os dias por que nos conectamos com a nossa verdadeira essência, a verdadeira realidade da vida é o ser.


Quando a gente medita a gente entra neste espaço interior tão profundo que quanto mais a gente se aprofunda a gente percebe que faz parte de um todo. A natureza não está só fora, além de seres biológicos, a consciência está representada em toda a natureza. A árvore tem consciência, a natureza, os minerais… quando a gente medita e se recolhe neste espaço a gente percebe que o mundo inteiro também é um ser vivo, também tem consciência e faz parte de toda criação. Seja o que você acredita, de qual religião for, se chama de divino, de Deus, tudo é uma representação do divino, todas as pessoas, animais, a Terra, todo os seres microscópicos, todas as plantas, tudo isso é representação de uma grande consciência. Você fica maravilhada, de como uma coisa tão pequena como a semente tem uma inteligência que faz ela se torna uma árvore de 30 a 40 metros, ver nisso um milagre, toda expressão da natureza é um milagre. O próprio ser humano é um milagre, dentro de cada célula tem uma inteligência e ela chamamos de divino. Ele está em todas a células do nosso corpo e em toda criação desde o grão de areia ao ser humano. Nós fomos agraciados em ser humano, de uma consciência maior, é muita responsabilidade.


A meditação Sahaj Samadhi, onde sahaj significa sem esforço, algo natural e espontâneo, e samadhi é o estado meditativo, é o estado de consciência pura. Esta meditação convida a transcender de forma simples e ao mesmo tempo tão profunda e rara que é o mantra. Com a prática regular é como se a gente estivesse treinando os nossos neurônios, os nosso sistema a estar neste espaço, por isso que a meditação tem que ser uma prática continuada.


Lendo Sri Sri Ravi Shankar em que ele diz que todos os nossos neurônios eles estão nascendo e morrendo o tempo todo e eles trabalho como fossem turnos de fábrica então se a gente não medita um dia aqueles neurônios que não trabalham ficam sem educação então eles só vão se educar quando eles voltarem a trabalhar na fábrica. Então a gente vai educando o nosso sistema e cada vez mais vai se estabelecendo neste espaço. Um mestre realizado diz assim que ele está estabelecido no ser, que ele tem esta conexão forte e viva 24h por dia. E a gente perde esta conexão e tem que voltar, a gente vai para fora e para dentro, fora e dentro, e é por isso que esta prática tem que ser continuada.


Na meditação o que mais importa é relaxar, e quanto mais você tenta se concentrar mais você se afasta deste espaço por que a concentração traz uma tensão, um alerta, diferente do alerta que a gente consegue depois que a gente relaxa. Então não tente se concentrar e não se preocupe. A meditação é arte não fazer, você não está fazendo nada e no entanto as vibrações que você está emitindo é para todo o planeta. Quando a gente está neste estado de relaxamento é assim que a gente pode sentir a felicidade, o amor que a gente é, está bem e conectado consigo mesmo, com o relacionamento com a família, filhos, marido, com os colegas de trabalho. Se sua necessidade é estar bem no dia a dia, de entrar em contato com este espaço de autoconhecimento, de saber quem é você, tudo isto traz a meditação.


Neste momento da pandemia, todo o dia Sri Sri Ravi Shankar as 11h no instagram @artedeviverbr, no link https://www.instagram.com/artedeviverbr/live/?hl=pt-br, está fazendo uma meditação global, uma meditação em grupo.

REFERENCIAIS

ARTE DE VIVER BRASIL. Disponível em: https://www.youtube.com/user/artedeviverbrasil, Acesso em 16 de julho de 2020.

ARTE DE VIVER BAHIA. Disponível em: https://www.instagram.com/artedeviverbahia. Acesso em 16 de julho de 2020.

GONZÁLEZ, Olga. Relato de Olga González. Publicado em 8 de dezembro de 2018. Disponível em: https://www.instagram.com/p/BrJAia6n1Z2/. Acesso em 16 de julho de 2020.

Gurudev Sri Sri Ravi Shankar. Disponível em:https://www.youtube.com/c/srisri. Acesso em 16 de julho de 2020.

SHANKAR, Ravi, Sri Sri. Deus ama diversão. Tradução de Alexandre Lopes. São Paulo: Arte de Viver Brasil, 2014.

11 visualizações

©2018 BY NÚCLEO DE PRÁTICAS INTEGRADAS. PROUDLY CREATED WITH WIX.COM

Website Idealizado por Heliana Mettig